Em busca de uma beleza justa: orgânicos e cruelty free

segunda-feira, março 02, 2015


O vídeo "A história dos cosméticos" é um excelente trabalho do website Story of Stuffs, mostrando a nocividade dos cosméticos que são usados frequentemente. Produtos carcinogênicos usados na indústria da beleza, nunca receberam a atenção merecida. Embora seja de 2010, é ainda bastante atual e acho que explica de uma forma bastante engraçada a realidade que se passa nos dias de hoje. Houveram muitas coisas que me fizeram olhar para os cosméticos de forma diferente, mas foi acima de tudo aquela ideia de beleza que os rótulos transmitem. 


Nas propagandas de TV, sites, embalagens, vemos cabelos brilhantemente photoshopados e peles incrivelmente luminosas e sem poros. Ainda que saibamos que é tudo falsificado, isso nos faz pensar: será que a minha pele é luminosa? Será que meu cabelo está brilhoso? Infelizmente é exatamente isso que a publicidade faz por nós nos dias de hoje: faz-nos duvidar da nossa beleza, da nossa maneira única e maravilhosa de ser. Faz-nos pensar que se não formos iguais a toda a gente, então somos nós que estamos mal.
Primeira coisa a fazer nesta caminhada: desligar-nos da publicidade, do que é suposto parecermos. Ligarmos apenas e exclusivamente àquilo que somos e ninguém tem haver com isso.
Para quem viu também o vídeo percebe que quem manda nisto tudo, no nosso processo de escolha, não somos nós. Isto tudo, claro, sem nos darmos conta. Acho que cada vez mais temos que ter cuidado com aquilo que compramos. É fundamental sabermos que "mercado" estamos a alimentar e para onde vai o nosso dinheiro. Por conta disso, chegou o momento de falar de duas coisas que eu acho muito importantes no que diz respeito à escolha de cosméticos:


1. Não ser testado em animais: Não quero usar um cosmético e pensar que para o usar algum gênero de crueldade foi feita. Felizmente, hoje em dia já existem algumas alternativas e cada vez mais há marcas que não testam em animais. Mas tome cuidado! Algumas empresas de cosméticos se denominam orgânicas e veganas, mas nem sempre são. Algumas dizem que não fazem testes em animais, mas contratam empresas que fazem. Para você ter certeza sobre a veracidade do título do produto, busque saber quais certificações ele tem. Vocês podem recorrer a esta lista da PETA. Pesquisem a marca que querem saber e logo terão a resposta. Para facilitar, sempre que virem também o símbolo do coelhinho nos seus produtos, saibam que ele não foi testado em animais.

2. Ingredientes naturais e orgânicos: para quem acredita nos benefícios da agricultura orgânica (como eu) sabe o quão importante é estarmos rodeados de produtos sem qualquer aditivo químico (como no vídeo que mostrei). Daí ser também fundamental que os ingredientes dos nossos produtos de higiene também provenham de agricultura orgânica. Para saber se o são, estejam atentos à existência de algum desses símbolos no seu produto. Eles comprovam que todos os ingredientes usados são de agricultura orgânica. Atenção, uma pequena coisa que aprendi é que este símbolo é bastante caro. Pelo que me contaram, é preciso pagar para o ter, bem como uma série de burocracias. Conclusão: normalmente as pequenas marcas não tem. Não por não usarem ingredientes orgânicos, mas pela questão burocrática. Neste caso aproveitem e tentem falar com a marca em si, através do SAC e conhecer a sua filosofia de funcionamento.


Como disse, todas as nossas escolhas têm alguma influencia e é preciso pensar aquilo que queremos influenciar. Porque, ao que me parece, ainda temos esse poder. Agora, corramos para vasculhar os nossos produtos: quantos deles têm estes símbolos? Quantos deles sabemos que são feitos com ingredientes de agricultura orgânica?

    Você também poderá gostar de

    0 comentários

    Subscribe