Resenha: Karmatopia

domingo, fevereiro 15, 2015


Sinopse: Instigada pelas ideias que se vende sobre a Índia, a autora Karla Monteiro deixou a vida confortável e bem-sucedida como jornalista e partiu numa viagem de descobertas. Pediu demissão, assinou o contrato com a editora e passou cerca de 6 meses presenciando essa cultura tão diferente da brasileira. Mais do que um livro sobre a Índia, Karmatopia é um livro de estrada, sobre o consumo de uma ideia sobre um país; prende o leitor do início ao fim, através de uma escrita de reportagem empolgante e reveladora.

Ganhei esse livro no dia dos namorados do ano passado e consegui lê-lo nas férias de julho. Enfim, consegui fotografá-lo para resenhar. Sem dúvidas foi o livro que mais marcou meu ano, e com certeza marcou minha vida. Eu admiro demais a Karla, jornalista e autora do livro, porque ela teve coragem de fazer o que eu sempre sonhei: largar tudo por um tempo e se dedicar somente a viajar e a relatar a viagem. Ela viajou para a India e ficou 6 meses pesquisando sobre a onda de espiritualidade que está levando cada vez mais gente para o Oriente, para centros de meditação e terapias espirituais. Ela conta histórias, relatos sobre a viagem, os lugares, e ainda entrevista personalidades da Índia, gurus e estrangeiros que largaram tudo para viverem uma vida em busca da chamada iluminação.


O livro tem uma escrita muito gostosa e envolvente, você se sente viajando com ela. Também é muito rico em informações e referências. Eu nunca gostei de marcar livros, mas quando peguei esse para ler, era tanta coisa legal que eu queria pesquisar, tanta frase impactante, que não teve como. Eu lia sempre com o celular ou tablet do lado pra ir pesquisando tudo que ela falava e eu queria aprender mais a fundo, como o Vedanta e as diversas modalidades de yoga. Também gostava de pesquisar os lugares que ela passou, ver fotos e me imaginar lá. 
Esse livro com certeza me acrescentou muito no que diz respeito à cultura indiana e hindu. Ele não fala sobre teoria, mas conforme eu ia lendo alguns termos que me interessavam, eu ia procurar mais a fundo sobre eles. E descobri coisas incríveis.


O livro é bem realista. Ela conta as partes boas e também as ruins da viagem. A autora escreveu o livro com detalhes, opiniões, pensamentos e reflexões próprios. Isso foi positivo, pois deu um toque pessoal que tornou a leitura mais interessante.


Esse livro também me tirou muitos estigmas, preconceitos e ideias pré-definidas que eu tinha da Índia. Me fez ver como é um país lindo, rico e diverso. E fiquei com muita, muita vontade de conhecer essa terra e esse povo (veja esse post onde falo sobre esse desejo). Quando meu namorado me entregou o livro, primeiro me apaixonei pela capa. Depois que vi que era sobre a Índia, fiquei meio "assim", pois era uma cultura que nunca me chamou muito a atenção. Poréeeem, a Karla conseguiu deixar tudo tão bonito e realista que eu mudei de ideia completamente e hoje em dia pesquiso muito sobre a Índia, a cultura e a religião desse país. Despertou em mim uma paixão sem fim.


O livro te deixa com muita, muita vontade de largar tudo e sair viajando pelo mundo. Também de deixa com uma vontade enorme de meditar, fazer yoga, refletir sobre o mundo, ir para um ashram...
A Karla cruza com outros viajantes, seus interlocutores vão de pessoas como ela, buscadores inveterados, a grandes mestres da yoga, passando por gurus e alguns tipos excêntricos, como os hippies que ainda vivem o sonho Woodstockiano. Ela não defende nenhuma filosofia ou religião, apenas faz perguntas essenciais, dessas que todos gostariam de fazer, mas não tiveram a oportunidade ou coragem para tanto.


Se você gosta de rir, de ler relatos de viagem, memórias detalhadas, entrevistas, tudo com um toque jornalístico e pessoal, não pode deixar de ler esse livro incrível. Karla é aberta e disposta ao encontro e isso torna tudo mais lindo. A autora faz questão de viajar sem guias, o que tira a segurança em alguns momentos, mas incorpora surpresas. A autora nos dá suas impressões de Rishkesh, Goa, Varanasi, Dharamsala, Dharamkat, Jalandhar e Varkala, entre outras cidades. Chega sempre sem saber bem o que vai encontrar, o que se torna quase um método, uma estratégia da viajante para manter em alerta a capacidade de se surpreender.


Não tenho palavras pra descrever a emoção e a nostalgia que me toca quando lembro dessa história. Pretendo reler daqui algum tempo e indico para todos! E aqui, a dedicatória fofa do meu amor. Obrigada pela rara oportunidade e aprendizado ao me presentear com esse livro, meu bem.


Quem quiser assistir, a Karla deu uma entrevista ao Jô contando mais sobre a viagem. Ela é muito divertida, vale a pena assistir.

É isso! Espero que tenham gostado da resenha. Farei outras de livros já lidos. Andei meio sem tempo, mas vou aproveitar as férias pra fazer isso.
Me contem nos comentários o que acharam e se já leram. Beijos!

Você também poderá gostar de

0 comentários

Subscribe