Vivendo uma vida simples - Leo Babauta

quarta-feira, novembro 26, 2014


Por 9 anos eu venho aprendendo a viver uma vida simples. (...) Uma vida que não é constantemente ocupada e corrida, mas de contemplação e criação, conexão com as pessoas que eu amo, e tempo para a natureza e atividades.
Isso não significa que eu tenho zero desordem e zero complicações: eu sou parte do mundo, não um monge isolado. Eu tenho posses, eletrônicos, distrações e, ocasionalmente, estou ocupado. Eu só preciso reduzir isso para ter espaço.

Hoje eu estive refletindo sobre essa vida simples e pensei em compartilhar algumas dessas reflexões:

  • Esvaziar seu espaço em casa e no trabalho pode levar a uma mente menos confusa. Essas distrações visuais puxam-nos mais que imaginamos.
  • Uma manhã sem pressa, tranquila, é um tesouro. Eu acordo cedo para que eu tenha algum tempo para ler, escrever, meditar. 
  • Você não pode ter uma vida simples se você não está disposto a deixar ir o que você está acostumado. 
  • Deixar ir pode ser difícil, mas é mais fácil se você fizer um desafio de um mês. Deixe de lado algo por um mês e veja se você gosta ou não. 
  • Deixar de lado a TV a cabo foi uma das melhores coisas que fizemos desde o início - a televisão não é mais constante na minha casa, não mais anúncios para as coisas ruins que não precisamos. 
  • Shopping não é terapia. É um desperdício de tempo e dinheiro. 
  • Se você está preenchendo sua vida com distrações, provavelmente é porque você está com medo do que seria a vida sem internet constante, mídias sociais, notícias, TV, jogos, lanches. 
  • Simples, inteiro, alimentos saudáveis ​​não só são muito mais saudáveis do que junk food: é um prazer. 
  • Você tem que dar tempo para o que é importante: tempo com seus filhos, o tempo com seu cônjuge, o tempo para a criação, o tempo de exercício. Empurre tudo de lado para fazer o seu tempo. 
  • Overcommitting é o maior pecado contra a vida simples e maioria das pessoas fazem. Eu dolorosamente cortei um grande número de compromissos no sentido de simplificar a minha vida, e eu estou feliz que eu o fiz. Eu faço isso todos os anos, mais ou menos, porque eu sempre esqueço. 
  • Eu mantenho meus dias na sua maioria não-estruturados e não-programados, de modo que eu tenho espaço para as pequenas coisas que são tão importantes: leitura com o meu filho, ir para uma caminhada, tirar um cochilo. 
  • Tenho algumas atividades que faço quase todos os dias, embora não em um cronograma: escrever, ler, comer refeições saudáveis​​, fazer um treino ou brincar com as crianças ao ar livre, processar minha caixa de entrada de e-mail, ler com as crianças. 
  • É fácil encher nossas vidas, porque há tantas coisas que soam incríveis. Ouvimos falar que os outros estão fazendo e instantaneamente queremos acrescentar para as nossas vidas. Mas é mais difícil de lembrar que, adicionando tantas coisas em nossas vidas, estamos subtraindo espaço. E que o espaço é importante. 
  • Ao dizer não às coisas que soam muito legais, eu estou dizendo sim para o que é verdadeiramente importante para mim. 
  • Distrações são tanto mais tentadoras e mais destrutivas do que imaginamos. 
  • "É tentador preencher cada pequeno minuto do dia com a produtividade ou distrações". Não. Deixe um pouco vazio. 
  • Nós colocamos muita ênfase na emoção. É temporário, e não importante. 
  • Nós exageramos na produtividade. Foco, prioridades e eficácia são mais importantes. 
  • Se você não pode aprender a sentar-se em uma sala silenciosa sozinho, sem distrações, você não será capaz de simplificar. 
  • Comprar coisas não resolve os nossos problemas. Nem comida. 
  • É melhor ter seis livros sobre sua prateleira que você está realmente indo ler do que uma centena de que você nunca dará conta. 
  • Quando você viaja de ânimo leve, você é mais livre, menos sobrecarregado, menos cansado. Isso se aplica à vida, não apenas viajar. 
  • Sua atenção é o seu bem mais precioso. Dê-a como um presente para as pessoas que você mais ama, não um bando de palhaços na internet. Dê para o trabalho que mais importa, não para distrações. 
  • Às vezes, as distrações são agradáveis. 

Texto originalmente publicado no blog Zen Habits e traduzido (parcialmente) muito mal por mim.


Um homem é rico na proporção do número de coisas de que ele é capaz de abrir a mão. (Henry Thoreau )

Você também poderá gostar de

2 comentários

  1. Adorei o texto e a ideia de deixar a vida mais leve e simples, pois isso ajuda a relaxar e perceber o que realmente importa.
    http://www.hurricanestars.com/

    ResponderExcluir
  2. Eu amo o seu blog e amo todos esses posts sobre vida simples. Eles me inspiram e me fazem ver como a vida é lotada sem precisão. Eu sou do tipo de pessoa que se preocupa com tudo e sofre por todos e quando vejo seus posts é como se um peso saísse das minhas costas e eu ouvisse "você não precisa de tudo isso, fica tranquila". Que Deus abençoe você e que você continue postando coisas lindas no seu blog, que a ultima coisa na vida que ele é, é fútil haha Beijo, Lua.

    ResponderExcluir

Subscribe