Notas sobre uma escolha

segunda-feira, outubro 27, 2014


Tudo começou com um post no blog Notas Sobre uma Escolha, em 22 de julho de 2013, mas na verdade a vontade do casal em largar tudo já vinha sendo planejada antes disso. Essa foi a data da decisão e do início da jornada dos corajosos Manu, Hugo e os filhos Tomé e Nina – que ainda estava na barriga da mãe – quando venderam suas coisas e partiram para um lugar inusitado deixando um aviso: “A nossa escolha nada mais é por viver uma vida larga, não apenas uma vida longa”.

Eles trocaram a vida confortável em Lagoa Santa (MG) para morar na bela e simples Chapada Diamantina (BA), destino que está mais acostumado a receber turistas do que famílias com mudança. Entre altos e baixos, Manu relata nos posts (que são muito bem escritos, por sinal), como está sendo a vida no campo baiano, onde já produzem seu próprio alimento em uma horta orgânica. O motivo principal do êxodo ela explica no primeiro texto do blog: deixar os filhos mais próximos da natureza, do que é da terra. “Sentimos que eles (e todos os outros que virão vida afora!) são crianças de espírito livre, cheios de luz e consciência. Obrigá-los a crescer na cidade, enjaulados em apartamentos, moldados pelo consumismo social e submetidos à uma educação tradicional nada inteligente seria, de alguma forma, negar toda a essência desses dois serzinhos”.


Além disso, Manu e Hugo querem ter a consciência do que é realmente necessário para se viver, sem todos os confortos da cidade grande, o que parece ser um grande desafio. Mas lendo os textos do blog, a vida campestre não parece tão ruim assim, embora lá também tenha os perrengues nada convencionais, como a fuga das galinhas, a morte de uma das cabras – que foi picada por uma cobra -, os besouros que atacam a plantação, a falta de luz, entre outros, além da saudade dos familiares.


A ideia de ser autossustentável e de viver da permacultura e do famoso DIY foge totalmente da nossa realidade urbana e exaustiva. O bom é que, diferente da maioria dos mortais, essa família tem acesso a “luxos” que poucos têm, como a vida ao ar livre, sem as violências cotidianas, a comida que vem de hortas verdes e saudáveis, frutas frescas e saborosas, água pura e cristalina e energia solar. Desejamos a eles toda a sorte do mundo!


Confira um trecho do diário que conta sobre o dia em que chegaram:

Chegamos, estamos em casa.

Com três malas de 23kg cada, saímos de Lagoa Santa e seguimos rumo à Salvador. O resto ficou pra trás, foi vendido, doado, poucos livros guardados, exercício ímpar de desapego e do qual eu acreditei nunca poder ser capaz! As despedidas foram doídas, algumas adiadas, outras mais fáceis do que imaginávamos. Deixar uma cidade e suas relações é também repensar o lugar das pessoas na vida da gente. (...)
Este primeiro dia em Salvador nos proporcionou uma das experiências mais lindas ao lado do Tomé, descobrir o mar. Com toda força das ondas e bênçãos de Yemanjá, chorei (sim, chorei!) de emoção ao ver ele se jogando na areia, caindo na água fria, sentindo o vento bagunçar os cabelos, o sal grudando no corpo, a liberdade destemida. Nosso filho é bicho solto, esse é um dos recados que ele me dá diariamente. (...)
Parece que chegar aqui foi um soco no nosso estômago, quando a gente deseja muito alguma coisa o universo conspira e ela acontece. Estamos aqui. E agora, José? E esse mesmo soco que dói e amedronta traz em si uma das coisas mais bonitas que meu coração besta já sentiu: a força da união em nosso núcleo familiar, a capacidade de nos protegermos, de nos apoiarmos, de nos acalmarmos, de nos abraçarmos com tanto carinho. Nós quatro somos como notas de uma musica só e precisamos zelar pela harmonia final.



Eles também têm um Tumblr, que serve como diário fotográfico, onde guardam memórias para seus filhos no futuro. Nessa série também dá pra acompanhar o crescimento das crianças que são lindas, aliás.


Mas agora vem a má notícia: eles tiveram que sair de lá. As terras onde moravam na Chapada foram vendidas. Ela conta melhor nesse post. Mas as histórias ficam, a experiência e a inspiração também. O blog continua existindo e continua sendo lindo. E precisa ser mostrado ao mundo!


Você também poderá gostar de

2 comentários

  1. Esse é meu sonho de vida, sabe? Largar tudo e viver uma vida no campo, ser auto-sustentável e como disse no começo do post "ter uma vida larga". Acho digno o que eles fizeram.

    www.casacafeina.com.br

    ResponderExcluir
  2. Conheci eles fazendo uma busca sobre esse estilo de vida. Penso seriamente em fazer algo semelhante. Fugir dessa loucura de cidade grande, toda regrada e metódica, viver algo mais leve e natural, assim em contato direto com a terra, deve ser maravilhoso *u*

    ResponderExcluir

Subscribe