Em busca de uma beleza justa: orgânicos e cruelty free


O vídeo "A história dos cosméticos" é um excelente trabalho do website Story of Stuffs, mostrando a nocividade dos cosméticos que são usados frequentemente. Produtos carcinogênicos usados na indústria da beleza, nunca receberam a atenção merecida. Embora seja de 2010, é ainda bastante atual e acho que explica de uma forma bastante engraçada a realidade que se passa nos dias de hoje. Houveram muitas coisas que me fizeram olhar para os cosméticos de forma diferente, mas foi acima de tudo aquela ideia de beleza que os rótulos transmitem. 


Nas propagandas de TV, sites, embalagens, vemos cabelos brilhantemente photoshopados e peles incrivelmente luminosas e sem poros. Ainda que saibamos que é tudo falsificado, isso nos faz pensar: será que a minha pele é luminosa? Será que meu cabelo está brilhoso? Infelizmente é exatamente isso que a publicidade faz por nós nos dias de hoje: faz-nos duvidar da nossa beleza, da nossa maneira única e maravilhosa de ser. Faz-nos pensar que se não formos iguais a toda a gente, então somos nós que estamos mal.
Primeira coisa a fazer nesta caminhada: desligar-nos da publicidade, do que é suposto parecermos. Ligarmos apenas e exclusivamente àquilo que somos e ninguém tem haver com isso.
Para quem viu também o vídeo percebe que quem manda nisto tudo, no nosso processo de escolha, não somos nós. Isto tudo, claro, sem nos darmos conta. Acho que cada vez mais temos que ter cuidado com aquilo que compramos. É fundamental sabermos que "mercado" estamos a alimentar e para onde vai o nosso dinheiro. Por conta disso, chegou o momento de falar de duas coisas que eu acho muito importantes no que diz respeito à escolha de cosméticos:


1. Não ser testado em animais: Não quero usar um cosmético e pensar que para o usar algum gênero de crueldade foi feita. Felizmente, hoje em dia já existem algumas alternativas e cada vez mais há marcas que não testam em animais. Mas tome cuidado! Algumas empresas de cosméticos se denominam orgânicas e veganas, mas nem sempre são. Algumas dizem que não fazem testes em animais, mas contratam empresas que fazem. Para você ter certeza sobre a veracidade do título do produto, busque saber quais certificações ele tem. Vocês podem recorrer a esta lista da PETA. Pesquisem a marca que querem saber e logo terão a resposta. Para facilitar, sempre que virem também o símbolo do coelhinho nos seus produtos, saibam que ele não foi testado em animais.

2. Ingredientes naturais e orgânicos: para quem acredita nos benefícios da agricultura orgânica (como eu) sabe o quão importante é estarmos rodeados de produtos sem qualquer aditivo químico (como no vídeo que mostrei). Daí ser também fundamental que os ingredientes dos nossos produtos de higiene também provenham de agricultura orgânica. Para saber se o são, estejam atentos à existência de algum desses símbolos no seu produto. Eles comprovam que todos os ingredientes usados são de agricultura orgânica. Atenção, uma pequena coisa que aprendi é que este símbolo é bastante caro. Pelo que me contaram, é preciso pagar para o ter, bem como uma série de burocracias. Conclusão: normalmente as pequenas marcas não tem. Não por não usarem ingredientes orgânicos, mas pela questão burocrática. Neste caso aproveitem e tentem falar com a marca em si, através do SAC e conhecer a sua filosofia de funcionamento.


Como disse, todas as nossas escolhas têm alguma influencia e é preciso pensar aquilo que queremos influenciar. Porque, ao que me parece, ainda temos esse poder. Agora, corramos para vasculhar os nossos produtos: quantos deles têm estes símbolos? Quantos deles sabemos que são feitos com ingredientes de agricultura orgânica?

    Posters para baixar gratuitamente


    A Adri, do blog Pequenina Vanilla fez um post lindo de morrer mostrando sua "galery wall" e um post só de inspirações lindas. Pra quem não sabe, essa famosa "galery wall" consiste em uma parede que você escolhe para colar posters, quadrinhos e papéis com desenhos, imagens bonitas e frases que você se identifique. Desde que vi esse post da Adri não tirei mais isso da cabeça e decidi procurar lugares para baixar essas imagens tão lindas.
    Nem sempre a gente tem aquela grana sobrando, e graças à internet temos algumas alternativas simples e baratas. Eis-me aqui para compartilhar com vocês minhas descobertas de sites que disponibilizam posters para download gratuito. Cada um deles tem uma proposta diferente. E é sério: dá vontade de decorar a casa inteira e passar horas tentando escolher os cartazes favoritos. São tantos que a tarefa de escolher é muito complicada. Vejam só:



    Se você ama aqueles posters vintage, de publicidade, filmes, etc., não pode deixar de conferir esse site. Ele é dividido em várias categorias (como Propaganda, Viagem, Animais, Comida/Bebida, Filmes, Arte e Design e alguns outros) e os pôsteres são realmente muuuito legais.





    Esse é um site colaborativo onde diversos artista disponibilizaram algumas de suas obras para download. Se você gosta de ilustração e muita fofura, você irá se perder nesse universo.





    Esse não é um site, mas na verdade um tumblr recheado de posters criativos, baseados em filmes, músicas e frases famosas. É muuuuuita opção. Corre lá!




    Eternizar os filmes prediletos na parede pode ser uma boa ideia para os fãs de cinema, não é? Esse site pode te ajudar nisso. São mais de 2.000 pôsteres disponíveis. Importante: procure o filme que deseja pelo nome original dele, não na versão em português. Se não souber, peça ajuda ao amigo google tradutor. 





    Eu fiquei simplesmente encantada e chocada com essa galeria do Flickr. Primeiro porque ela faz a junção de duas coisas que amo: natureza + vintage. Com aquele arzinho de livro de botânica/biologia, o perfil reúne quase 2.000 álbuns com imagens de livros e revistas. De plantas a animais, tem de tudo um pouco e vale a pena conferir.





    A criadora desse tumblr ouviu dizer que bastavam seis meses para curar uma dor de amor. Por isso, ela resolveu criar um cartaz por dia e disponibiliza todos para download. São trechos de músicas que retratam o recomeço e todos os sentimentos que envolvem essa etapa dolorida/divertida/reflexiva da vida da gente.



    PARA COMPRAR:


    E, se você está disposto a desembolsar uma graninha, eu indico o site AllPosters. É um site gringo, mas que tem sua versão brasileira. Eu e meu namorado já compramos lá e veio tudo certinho. É confiável e os posters são de ótima qualidade! Tipo aqueles cartazes de cinema mesmo. E o preço ainda é super baixinho. Indico muito! Comprei o meu há uns 4 anos e tenho até hoje. Se você entrar no site vai ficar perdido de tanta variedade e temática diferente.

    E aí, gostaram? Já conheciam algum desses? Conhecem algum que eu não coloquei no post? Me contem nos comentários! Beijos.

    » imagem | jasna janekovic


    Alimentação infantil


    A alimentação das crianças brasileiras já foi muito boa, mas depois da modernização, do marketing e do mundo ligeiro, caímos na tentação da comida prática, barata e gostosa (ainda que eu duvide da parte “gostosa”). Deixamos de olhar para a alimentação como uma peça fundamental para a educação e sobrevivência do individuo. Os pais se preocupam com a educação do filho, porém muitas vezes ficam restritos àquela educação de etiqueta. Esquecem de educar o filho para a vida! Ensinar a criança a falar por favor e obrigado estão no caderninho de muitos pais, porém ensina-los a recusar um refrigerante e pedir por um brócolis ficou em segundo ou nenhum plano.

    A melhor maneira de educar o filho a se alimentar bem é dando o exemplo em casa. Hoje temos um crescimento exponencial da obesidade infantil no Brasil onde em cada três crianças, uma está acima do peso. E a obesidade muitas vezes vem acompanhada de outras doenças crônicas como diabetes tipo 2, colesterol alto e pressão alta que também estão relacionadas aos hábitos alimentares. Conhecendo esses dados, muitos pais começam a se interessar pela alimentação dos filhos, e com isso propõem a eles escolhas alimentares mais saudáveis. Essa conscientização já é grandiosa, porém de nada valerá caso os pais obriguem os filhos a consumirem legumes no jantar comendo uma pizza e tomando refrigerante na frente deles. As crianças são muito curiosas e observadoras, e desenvolvem muitos dos seus hábitos a partir do que assistem dentro de casa. Então a melhor maneira de educar o filho para ter uma boa alimentação é servindo de exemplo. Comendo bem, cozinhando em casa, indo a feira, plantando uma arvore ou um pé de alface são exemplos que geram interesse alimentar nas crianças.


    O ato de levar a criança para a cozinha também ajuda na sua criatividade, raciocínio, memoria e inteligência. Se o seu filho não gosta de um alimento, experimente leva-lo para a cozinha e preparar o alimento de outra maneira. Leve o seu filho à feira para conhecer melhor os ingredientes, talvez a curiosidade, o interesse e as descobertas abram espaço para experimentar novos sabores, cheiros e cores. O terror vira brincadeira, o chato fica gostoso e o ruim se torna delicioso.
    Acredito que levar as crianças para a cozinha ajuda na educação alimentar infantil. Porém, se os pais ainda tem um pouco de receio de colocar as crianças na cozinha porque acham um ambiente perigoso (esse raciocínio é fácil de mudar, pois atravessar a rua é um ato também perigoso, mas os pais ensinam aos filhos a atravessarem a rua de mãos dadas, tudo é uma questão de educação) coloque a criança para fazer parte do universo alimentar de casa. A criança pode colocar uma mesa, lavar uma louça, fazer a lista do supermercado, ir a feira, etc. Essas são atividades que englobam a criança no circulo alimentar e não a deixa alienada da própria alimentação. Ela se sente mais responsável, mais feliz, mais independente e mais poderosa em relação aos seus hábitos alimentares.

    Saber de onde vem a comida, apreciar o produtor e saber prepará-la em casa deveria ser uma das prioridades na educação infantil. Assim educamos crianças mais independentes da indústria alimentícia e farmacêutica que por bem ou por mal acabam ditando o que teremos para o jantar. Cozinhar é libertador e nossas crianças merecem poder escolher seus futuros!

    E para as futures mamães ou mamães recentes, pensem com carinho na alimentação de seus bebês. Depois do peito, introduzam as frutinhas, os suquinhos, as papinhas de legumes e retardem ao máximo o consumo de açúcar. Não ofereçam doces, bolos, biscoitos, chocolate, refrigerantes… Lembrem-se: essa memória gustativa é nossa, eles não conhecem esse paladar. Aprendamos com esses seres iluminados quem chegam para nos ensinar!
    E aqui vai um vídeo do canal "Do Campo à Mesa" (que já comentei nesse post) para mamães de bebês:




    » texto | bela gil
    » imagem | jasper white

    Projeto Petits Plaisirs [2/12]



    "Limpar a cabeça, respirar fundo, abraçar o ar, aproveitar as coisas simples da vida. Ir buscar energia positiva ao nosso lado A, somar força para seguir viagem. Organizar ideias e afastar pensamentos cinzentos, fazer reset na máquina e medir distâncias do novelo em que tantas vezes andamos enrolados sem nos apercebermos. E, na verdade, acabamos por perceber que as preocupações não são assim tão gigantes, nem tão enlaçadas. E que na vida tudo se resolve. Com tempo, espaço e ar. No amor pelo qual aprendemos a esperar. E a viver. Serenamente."

     Mais uma edição do projeto Petits Plaisirs, (se você não conhece, veja esse post aqui). Dessa vez escolhi os seguintes pequenos prazeres que deixam minha vida mais leve:

    1. Viajar com o Caio



    2. Comer alfajor (meu doce favorito)



    3. Desenhar mandalas


    4. Deitar na rede de casa


    5. Comer melancia gelada


    6. Admirar a lua


    7. Praticar yoga


    8. Ouvir Marcelo Camelo e outras músicas que acalmam a alma



    É isso, pessoal! Se identificaram com algum desses itens? Me contem nos comentários! Espero que tenham gostado e, quem estiver participando, deixa o link pra eu visitar. Beijos!