03 setembro 2015

TAG: Felicidade é...

Eu e a minha incrível arte de fazer vídeos longos. Falo demais, corto um monte de parte e depois que publico ainda parece que esqueci de falar um monte de coisas, hahahaha. Enfim, o vídeo de hoje é uma TAG maravilinda que descobri e não poderia deixar de gravar respondendo. Que ela possa inspirar vocês também a pensar nas pequenas felicidades da vida. Dá o play e colocar em HD pra ficar show!



É isso, pessoal. Espero que tenham gostado do vídeo e fiquem à vontade pra gravar também e propagar essa onda de amor e alegria. Mil beijos!

02 setembro 2015

Quarto Montessoriano + nova categoria


Olá, pessoas lindas!!! O post de hoje é pra estrear uma nova categoria aqui no blog, que ainda não sei como chamar, me AJUDEM!! Categoria "Pequeninos", categoria "Mundo infantil"? Socorro. Não queria nada clichê como "Kids", "Pais e filhos" ou direcionada a alguma faixa etária como "Bebês", "Crianças". Nada melhor que pedir ajuda pra vocês que leem o blog. Que nome eu dou pra nova categoria?
Não sou mãe ainda, mas como alguns de vocês devem saber, eu tenho um little brother de 1 ano, o qual acompanho o crescimento desde o primeiro dia de vida, e por isso decidi abrir uma seção no blog onde eu pudesse compartilhar coisas sobre o universo e a educação infantil.
Para começar gostaria de compartilhar algo que admiro muito, mas infelizmente ainda não conseguimos implantar aqui em casa para o Álvaro: o quarto no modelo Montessoriano.

A Pedagogia Montessoriana ou Método Montessori foi desenvolvida por volta de 1907, por Maria Montessori, primeira mulher da Itália diplomada em medicina. Além de médica, Maria Montessori era educadora e seu método propunha a criação de um ambiente de aprendizado mais criativo. Seu trabalho enfatiza a importância de se criar um ambiente adequado para o desenvolvimento da criança, capaz de permitir a livre expressão de suas capacidades. Em um ambiente rico e estimulante, a criança torna-se capaz de aprender sozinha por meio de suas próprias experiências, desenvolvendo-se de forma espontânea, criativa e saudável.
Desta forma, Montessori acreditava que a casa não deve ser para crianças, mas das crianças, ou seja, não organizada para sua chegada, mas estruturada a partir de sua criação. Assim, quando pensamos em uma decoração montessoriana, temos que ter em mente que a proposta é fazer um quarto pensando no bebê e não para uso de adultos. Também é importante ter uma perspectiva que vai além da aparência puramente decorativa. A prioridade é a liberdade que a criança deve ter, ponto fundamental no desenvolvimento da criatividade.
Em um local rico e estimulante, a criança torna-se capaz de aprender sozinha por meio de suas próprias experiências, desenvolvendo-se de forma espontânea, criativa e saudável!

O ambiente precisa dizer à criança:
  1. Você é livre
  2. Você pode tentar
  3. Você é tão importante quanto o adulto
O respeito pelas necessidades da criança talvez seja a forma mais bela de lhe transmitir amor. Vamos ver algumas dicas para montar um quarto no modelo Montessoriano?

1) Esqueça o berço
O berço é substituído por um colchão no chão ou uma cama bem baixinha, para que a criança tenha mais independência para se levantar e se deitar. Se o pequeno costuma rolar de noite, basta fazer uma proteção em torno do colchão com travesseiros ou almofadas. Ao lado do colchão, você pode deixar um tapete longo, para que a criança não pise direto no chão gelado quando acordarSe você não quiser colocar o colchão diretamente no chão, pode optar por um estrado (o mais baixo possível) ou mesmo um tapete de EVA embaixo dele.
Você pode estar pensando: que absurdo! Mas não, não precisa ser um berço, e eu vou dizer isso de novo: não precisa ser um berço. A ideia pode parecer radical demais, mas só é assim porque culturalmente somos criados para pensar que ele é necessário. A cama precisa estar no chão ou precisa ser de uma altura que lhe permita subir e descer com facilidade, exatamente como é sua cama para você. Você não precisa escalar o estrado e o colchão quando quer dormir, e ela também não o deseja. 


2) Tudo ao alcance dos pequenos e oferecido aos poucos
Objetos, brinquedos, livros e fotos devem ser colocados na altura do olhar e ao alcance da criança. Para isso é indicado ter uma estante baixinha, tipo aqueles nichos que a gente usa pra colocar na parede. Caso ele não alcance o armário, deixe algumas opções de roupas num cesto para que possa escolher o que deseja vestir.
Você não precisa nem deve colocar todos os brinquedos e todas as roupas à disposição do seu filho de uma só vez. No livro Montessori: The Science Behind the Genius, Lillard explica que até seis opções são uma boa ideia, porque aumenta a sensação de bem estar da criança. Mais que isso começa a ser demais e muito mais que isso fica realmente confuso. Você pode praticar uma rotação de objetos e deixar sempre presentes aqueles que a criança gosta mais e ir trocando aqueles que ela escolha com menos frequência. Os poucos objetos disponíveis fazem com que a criança conquiste maior autonomia e livre escolha.


3) Decoração minimalista
A decoração deve ser minimalista, apenas com mobiliário essencial para que a criança possa explorar tudo o que tem no quarto. Um quarto muito grande no qual haja brinquedos e materiais por todas as paredes é pouco prático, caro, dá trabalho para limpar e organizar e a criança não consegue de nenhuma forma controle total sobre seu ambiente.
Assim, poucas coisas são realmente necessárias no quarto infantil: um espelho horizontal baixinho; estantes baixinhas; uma barra na parede; espaço livre e uma janela que ilumine bem o cômodo.


4) Miniaturas
Tudo deve ser bem pequeno e proporcional ao tamanho da criança. Cadeiras, mesinhas, tudo!


5) Segurança
É importante que a criança tenha tudo ao alcance das mãos, porém nem tudo. Portanto, degraus, escadas, tomadas e objetos muito pequenos que podem ser engolidos entram para a lista de coisas que ela não precisa ter por perto, ok?

6) Espelho
No quarto montessoriano, o espelho serve para que a criança possa se conhecer e entender que é uma pessoa distinta da mãe. Fora isso, é importante para o bebê reconhecer seu próprio rosto, as possibilidades de movimento dele e as partes de seu corpo, e enxergar-se pode ajudar a criança a se reconhecer como indivíduo, auxiliando no desenvolvimento da autonomia e da força de vontade.
Quando ela ainda não engatinha, esse espelho pode ser instalado na horizontal, ao lado da cama. Mais tarde, pode ficar na vertical, em outra parede. Para garantir a segurança dos pequenos, é importante que esse espelho seja de acrílico e fique bem fixado à parede.

7) Móbile
No início, o recém-nascido não consegue focar coisas que estão muito longe, por isso, o móbile deve estar a 30 cm do bebê. Além disso, no primeiro mês, o ideal é que o objeto seja preto e branco, com diferentes formas e padrões. Mais tarde, podem ser introduzidas outras cores.

8) Barra na parede:
A barra na parede tem uma utilidade só: ajudar a criança a andar, sem depender da ajuda direta dos pais. Pode-se pendurar objetos nesta barra, com espaços de intervalo, para que a criança tenha objetivos a atingir quando tentar caminhar. A utilização da barra precisa ser ensinada, claro, devagar, passo a passo, e quando você perceber que seu filho está tentando levantar e dar os primeiros passos. A barra poder ser daquelas de cortina, mesmo, bem presas a mais ou menos 50cm do chão - isso vai variar conforme a altura de seu filho.


9) Brinquedos e livros
Se os seus pertences são excessivamente coloridos, plásticos, barulhentos e se fazem tudo por ela – como os brinquedos modernos, que não necessitam da participação da criança e fazem dela mera espectadora – então ela desejará o mundo do adulto, porque é muito melhor do que o dela. 
Se você precisar escolher para sua criança entre dois brinquedos ou materiais, escolha o menos colorido, o mais natural, o menos plástico, o menos sonoro (à exceção de instrumentos musicais de qualidade, evidentemente) e o que acenda menos luzinhas. Se não houver uma opção de cores tranquilas ou neutras, de material natural (vidro, porcelana, metal, madeira), e silenciosa, pense com muito cuidado se é necessário comprar alguma coisa. Madeira e metal são os melhores materiais para brinquedos, porque realmente oferecem prazer para os sentidos, muito mais que plásticos.
Além dos tradicionais brinquedos, você também pode colocar objetos da casa (utensílios de cozinha que não oferecem riscos, como colheres de pau, copos de plástico) para os pequenos explorarem.
Os livros não precisam ser materiais sensoriais. Eles podem ser só de leitura, e o exercício de abrir, ver figuras e virar páginas já será interessante para a criança. Evite a todo custo livros que emitam sons. Excessos de estímulos não fazem bem para a criança e fazem com que a atenção dela seja desviada de qualquer foco possível.


Se é um bebê, pense no piso, no rodapé (que pode trazer detalhes para os bebês observarem, como cores); para a criança de dois ou três anos, já privilegie outras coisas, porque ele já anda, já fala. A ideia é adaptar o quarto de acordo com a faixa etária. Vá mudando as coisas, adicionando outras conforme o bebê for crescendo. O mais legal é isso: o quartinho cresce e se modifica junto a criança.

Pesquisando encontrei algumas lojinhas que vendem brinquedos e artigos de decoração Montessorianos. Não sei se são confiáveis, mas os links são esses:


Se você quer saber mais e se inspirar, indico o vídeo da Flavia Rubim (meu canal favorito no momento) em que ela explica um pouco sobre o tema e mostra o quarto montessoriano da sua filha Cora. 


É isso, pessoal. Espero de verdade que tenham gostado de saber sobre esse tipo de quarto, que vai muito além da decoração. Me contem nos comentários se gostaram da nova categoria e se querem ver mais posts do tipo aqui. Beijos!!

» informações retiradas deste post do Lar Montessori

31 agosto 2015

Chuva de amor com o Blog Day 2015


Dia 31 de agosto é o Dia Internacional do Blog e essa data foi escolhida pelo fato dos números 3, 1, 0, 8, quando juntos, formarem algo parecido com a palavra "BLOG". Para comemorar este dia tão especial, blogueiros do mundo todo indicavam vários outros blogs que amavam e queriam compartilhar. De algum tempo para cá o Blog Day se perdeu e o Rotaroots, um grupo maravilhoso do Facebook que busca resgatar a blogsfera oldschool, feita com amor, conseguiu trazer ele de volta com o mesmo propósito de antes. A ideia é indicar 15 blogs, que serão dividos em 3 categorias já pré-definidas pelo grupo. 
Foi por pouco que não listei uns 30 blogs. Foi muito difícil escolher só 15. Então, se quiserem ver mais blogs lindos que admiro, veja também meu blogroll.
(Ah, e o blogger cagou na qualidade das montagens abaixo. Então, relevem).

1) Medo da Pressa: esse blog pra lá de fofo me encanta por ser tão único! Tem posts tão diferentes de tudo que vemos por aí, sempre criativos e nada repetitivos. Cada vez que visito é uma surpresa diferente (sempre boas, claro).

2) Teoria Criativa: um blog que "agrega valor ao camarote". Sempre que visito o Teoria Critiava a Gabi trouxe algo novo, alguma informação sempre útil, algo que vai tornar a gente um pouquinho mais culto e melhor. Adoro, sem precedentes.

3) Mil Pétalas: um cantinho super delicioso, cheio de miudezas e pequenices que tornam nosso dia mais leve e bonito. A Patricia tem o dom de relembrar os pequenos prazeres da vida e nos colocar em contato novamente com o que realmente importa. Lindo demais, vale a pena conhecer.

4) Chá e Amor: adoro os posts do Chá e Amor (antigo Chá de Calmila), sempre com aquele ar pessoal, que nos remete aos blogs antigos. Fotos próprias, posts sempre criativos e com temáticas maravilhosas. A Camila compartilha o dia-a-dia, seus gostos, suas fotografias, dá dicas úteis e muito mais. 

5) Madly Luv: não tenho palavras pra expressar o quanto adoro esse blog e admiro todo o trabalho da Ana. Dá pra ver de longe que ela faz todos os posts com muito amor, capricho e dedicação. Quanto ao layout, é de fazer cair o queixo de quem visita. Não conheço uma pessoa que não fique admirado toda a delicadeza, aparência e conteúdos maravilhosos desse blog.


Pra começar, gostaria de dizer que não tenho certeza se conheci TODOS esses blogs pelo Rotaroots (principalmente os três últimos), mas de acordo com a minha memória um tanto quanto fraca, foi lá. Aí inseri eles nessa categoria, já que não poderia deixar de indicá-los. 

6) Todo Mel da Flor: esse blog é puro amor e DIY. A Pâmela tem um dom para trabalhos manuais e uma delicadeza enorme para fotografar. Além de compartilhar tutoriais ela também compartilha suas fotografias, textos e coisas mais pessoais.

7) Caos Criativo: põe criatividade nisso! E vai desde o layout, todo criado à mão pela autora, quanto pelos conteúdos sempre surpreendentes e únicos. Fico admirada com esse blog, que foge totalmente aos padrões da blogosfera. É justamente isso que me atrai nele e me faz admirá-lo tanto.

8) Danielices: esse blog me traz uma coisa muito boa quando visito! Um ar alegre, com posts sempre atraentes, muito bem montados, imagens que instigam e um texto leve e gostoso de ler. A Dani está de parabéns pelo bom gosto no layout e o dom para escrever. Adoro!

9) Querido Click: confesso que não acompanho tanto o blog, mas AMO o canal do youtube. Conheci há pouco tempo e não desgrudo mais. A Nina tem um jeito muito autêntico, humilde, de "gente como a gente" . Encara a vida de uma forma muito pé no chão e parecida com a minha. E acho que é isso que faz eu me identificar tanto com o blog e com a autora.

10) Pausa Para Um Café: esse blog respira vida. Muitas fotos autorais, muitas dicas e um layout colorido que dá vontade de ficar no blog pra sempre. Posts bem ilustrados, fáceis de ler e com temas sempre diferentes e criativos.



11) Vuou: a Hadassah tem uma visão de mundo tão bonita, tão compatível com a minha que, toda vez que entro no seu blog e leio um post seu, sinto vontade de abraçá-la e me tornar sua melhor amiga. Me sinto compreendida e inspirada. É isso! Os posts são tão profundos e as fotos tão bontias que não se comparam a nada que você encontra nos outros blogs. É pra sair da rotina mesmo. Eu amo tanto esse cantinho que confesso que tenho até um pouco de ciúmes de compartilhá-lo. Hahahaha.

12) Um Ano Sem Lixo: esse blog é incrivelmente incrível. Conheci há pouco tempo e foi ele que me fez entrar de cabeça no #zerowaste (mais pra frente vou fazer um post falando sobre isso aqui). A Cristal decidiu viver 1 ano sem produzir lixo e relata tudo no blog. Muitas dicas e muitos links interessantes te aguardam!

13) Cambaleando: um blog para os amantes de design (não fala basicamente de design, mas é muito bem feito). Tem uma pegada muito diferente de posts, sempre bem montados, e um layout maravilhoso. Não consigo nem descrever o Cambaleando. Só visitando mesmo pra entender do que eu to falando.

14) Na Mesma Frequência: um blog de casal fofo, porém sem mimimis, hahahaha. Já indiquei eles aqui nesse post, e volto a indicar! No blog eles relatam coisas sobre sua mudança, compartilham seus gostos pessoas, fotos, dão dicas de filmes e séries, e muito mais.

15) Lookaholic: esse blog foi meu maior inspirador a deixar de lado os cosméticos convencionais e partir para uma "beleza justa". Lá você encontra TODAS as informações possíveis sobre esse universo e ainda pode ver resenhas de produtos, conhecer marcas e lojas confiáveis. (Eu confio na Nyle, pode confiar também!).

Qualquer um pode participar, independente de estar no grupo do Rotaroots no Facebook. Espalhar amor pela blogosfera nunca é demais! 
Espero que tenham gostado das indicações. Me contem se já conheciam algum deles e o que acharam. Beijos!

30 agosto 2015

Saiba onde e como descartar seu lixo usando o eCycle


Primeiramente, gostaria de dizer que esse não é um publieditorial ou post pago, haha. Conheci esse site há pouco tempo e achei tão maravilhoso, útil e revolucionário que achei importante compartilhar por aqui, porque todo mundo precisa conhecer e saber da existência dele.
O eCycle - Sua pegada mais leve, é uma marca que possui uma loja e um site recheado de notícias, informações e matérias legais sobre consumo consciente, reuso, reciclagem, etc. E... a parte que achei mais incrível: essa área (na imagem abaixo) onde você insere o que precisa descartar na sua casa (pilha, roupa, livro, etc.) + seu CEP ou endereço completo e ele te mostra todos os lugares mais próximos de você que recolhem e reciclam aquele tipo de material que você pediu. E, além de mostrar quais são os postos que aceitam os materiais buscados também dão o endereço completo e a rota para chegar ao destino. Você pode digitar o material que precisa ou pegar uma colinha na lista deles clicando na setinha verde ao lado da caixa de pesquisa. Quando você clica no material que você deseja ele ainda te dá a informação da importância ambiental de se reciclar aquilo que você selecionou.


A partir disso você também consegue ter acesso a todos os tipos de materiais e todos os lugares da sua cidade que o recebem. Eu moro em cidade pequena e, por incrível que pareça, ele me mostrou VÁRIOS locais que recolhem até as coisas mais improváveis e impensáveis, como brinquedos. É simplesmente demais! Útil, super leve e prático de utilizar, e o melhor: com um raio de informações gigantescas das áreas e dos postos de coleta. O site oferece mais de 7.5000 postos de reciclagem e doação e opções de quase 200 itens de consumo diário como eletrodomésticos, eletrônicos, vidro, maquiagens, cosméticos, remédios e uma infinidade a mais.



Se você clicar em um desses balões verdinhos ele te dá mais informações sobre o local, como a rota exata para chegar e quais são os materiais que o local recolhe. No caso da imagem abaixo eu cliquei no Extra e lá eles só recolhem medicamentos, mas tem outros postos que recolhem mais de um tipo de material e isso é muito bom!


A ideia base, "sua pegada mais leve" é super interessante. Se você não entende, ecologicamente falando, o que significa "pegada", pense só: você já parou para refletir que tudo o que você consome deixa um rastro no planeta? E que muitas vezes essas "pegadas" permanecem por muitos e muitos anos no meio ambiente, causando vários problemas? 
"Existe a boa intenção em mudarmos nossos hábitos cotidianos como reduzir a produção de lixo, ter um estilo de vida saudável e fazer escolhas que são determinantes para melhorar o mundo em que vivemos, mas faltam informações sobre como fazer isso, e a proposta do eCycle é justamente esta", explica Onofre de Araújo, um dos fundadores do site. (Via Ideia Sustentável).

É isso, pessoal. Espero muito que vocês tenham gostado da indicação e possam utilizar o site para fazer o descarte adequado do lixo de vocês. Esse site é uma mão na roda para pessoas que moram em cidades que não tem coleta seletiva ou que, assim como eu, tem um pézinho atrás com a forma como a prefeitura faz a reciclagem do lixo depois de recolhido e prefere levar por si mesmo para os postos. 

Em breve teremos um post aqui com uma temática semelhante que acho que vocês vão gostar. Me contem nos comentários o que acharam. Beijos!!

» imagem | bounce energy

28 agosto 2015

Entrevista com a yogi Talissa Monteiro


Um belo dia postei no Facebook que estava em busca de blogueiras aqui da minha região e um conhecido me indicou o blog da Talissa. A partir daí adicionei ela no Facebook, a segui no Instagram, Pinterest, etc. e fiquei encantada pelas fotos lindas que ela postava em ásanas de yoga.
Foi aí que, depois de muito tempo admirando de longe a evolução da Talissa, resolvi convidá-la para responder algumas perguntas sobre yoga aqui no blog. 
A Talissa tem 22 anos, está se formando em Jornalismo e é da cidade de Quatis, aqui no interior do RJ. Enfim, conheçam mais da relação dela com o yoga através das perguntas aqui embaixo. Espero muito que vocês gostem. 


1. Como você conheceu o yoga? O que te levou a querer praticá-lo?

Meu pai trabalha com medicina oriental e sempre tivemos uma grande influência dessas culturas em casa, seja a chinesa ou a indiana. Ele também praticava yoga e me inspirou bastante. Mas acho que o principal motivo foi por procurar uma atividade que unisse corpo e mente. Nunca gostei de praticar esportes só por estética.

2. Há quanto tempo você pratica? Aprendeu sozinha ou com algum instrutor?

Há dois anos. Aprendi sozinha e pratico sozinha todos os dias.

3. Conte mais um pouco sobre as suas práticas e sua rotina de yoga. Horário, locais, suas preferências de alimentação, “rituais”, etc. 

Pratico pelo menos cinco vezes na semana, geralmente de segunda sexta, pela manhã, assim que acordo. Gosto de praticar no meu quintal ou no meu quarto mesmo, depende do clima e do que eu sinto que preciso. Costumo começar com meditação, depois entoar alguns mantras e fazer minha oração e, por último, a prática física. Esta rotina é a que acontece no meu tapetinho, mas yoga a gente pratica no dia a dia, sendo gentil com alguém, por exemplo.
Sobre rituais, não tenho muitos, mas gosto de acender um palo santo ou incenso.


4. Você pratica todos os dias? É algo mais flexível ou você tem uma rigidez e compromisso com sua prática?
Tenho muito compromisso com a minha prática e raras são às vezes que não pratico no mesmo horário. Mas quando tenho algum compromisso bem cedo, passo a prática para o horário que tenho livre. Como sou extremamente disciplinada e controladora, meu exercício na yoga é relaxar e ser flexível com a minha prática, por exemplo, praticando menos quando estou doente ou cansada.

5. Você teve algum “guru” ou alguma pessoa que lhe inspirou ou ainda lhe inspira de alguma forma?

De uma forma exclusiva e direcionada, não. Mas tenho pessoas que me inspiram muito na vida e nesse caminho de autoconhecimento que é a yoga, como meus pais, professores que tive, Chico Xavier, professor Hermógenes, entre muitos outros. Recentemente, também fiz o curso de formação com o Marco Schultz e ele, com certeza, tornou-se um exemplo pra mim.

6. Além da prática, você também se dedica aos estudos do yoga? Se sim, como você faz?

Sim. Essa parte é essencial. Gosto de estudar os yoga sutras. Mas como a yoga é tudo que te ajude a se melhorar e no autoconhecimento, também estudo yoga quando estudo o espiritismo e os ensinamentos de Jesus, por exemplo.


7. Desde que adentrou nesse mundo, você percebeu mudanças físicas? E espirituais?

Sim. Eu me sinto muito melhor no meu corpo. Tenho menos dores musculares, fico doente com menos frequência, tenho mais energia e menos cansaço também. Sinto muito mais alegria e otimismo. O yoga te ensina a estar presente e inteira em cada ação que você pratique. Isso te ajuda a ter muito mais qualidade de vida e de presença, além de melhorar sua relação com você mesmo, com as pessoas, com a vida e com Deus.

8. Conte um pouco sobre a sua decisão de se tornar instrutora de yoga e levar tudo isso um pouco mais além. Como foi e está sendo essa experiência?

Eu quero dividir com as pessoas os benefícios de uma prática que me fez tão bem e mudou a forma como eu enxergo a vida. Mas não enxergo a yoga como um trabalho como os outros. Aliás, estou me formando em jornalismo, então, já tenho uma profissão. Ensinar yoga também é uma forma de aprofundar minha própria prática e evoluir como pessoa.


9. Por fim, quais dicas e conselhos você dá para quem se interessa por yoga e quer começar? E para quem quer tentar praticar em casa?

Se você puder, procure um bom professor para te iniciar e amparar nesse caminho. Eu não tive essa oportunidade e comecei sozinha, mas após o curso de formação em yoga, aprendi técnicas essenciais para uma prática segura, duradoura e mais benéfica. Mas também acho a prática individual muito importante. É a melhor oportunidade para ouvir seu corpo, desenvolver seu próprio ritmo e se concentrar nas suas necessidades. Busque em livros e na internet. Os desafios do instagram também me ajudaram bastante em relação às asanas. Alguns perfis de instrutores, como a @kinoyoga, postam uma sequência todo mês e ensinam a execução das posturas durante os 30 dias. Também é importante focar na meditação e na prática dos princípios éticos da yoga fora do tapetinho.
Também há várias opções de retiros e ashrams no Brasil que podem ajudar o praticante a aprofundar seus conhecimentos e dar um tempo da rotina. Por último, indico os livros do professor Hermógenes, principalmente o “Autoperfeição com Hatha Yoga”, para quem deseja praticar sozinho (tem resenha desse livro aqui no blog).
 

É isso! Espero que tenham gostado e aprendido bastante. Se você tiver alguma dúvida, deixe aqui nos comentários. E contem o que acham e se querem mais entrevistas por aqui. 

Por último, gostaria de agradecer a Talissa por ter se disponibilizado a responder essas perguntas com tanto carinho e boa vontade. Que você possa continuar espalhando muita luz pelo mundo através do yoga. Mil beijos!!! Agradecemos.

Sigam a Talissa no Instagram, ela sempre posta fotos muito inspiradoras por lá!