Inspire-se: batom vinho


O outono chegou e, com ele, meu tom favorito de batom: vinho. Bordô ou burgundy, para os mais chiques. Acho um tom de batom elegantérrimo que deixa qualquer uma com cara de phyna. É uma cor maravilhosa e eu acho que combina bem melhor com o outono e o inverno.
Esse tipo de batom cai bem para qualquer tom de pele, mas as branquinhas tem que ter um pouco mais de ousadia para usar, porque chama bastante atenção. Se ainda está insegura, use para sair à noite numa balada ou evento, fica um glamour só!
Para não errar, faça só um delineado básico ou uma make com tons amarronzados. Você pode usar ele em matte ou com um gloss por cima. Antes de passar, faça o contorno com um lápis de boca vinho ou com um pincel de lábios e o próprio batom.
Vejam as famosas usando e tirem suas conclusões:




Esse que estou usando na foto abaixo é o 34, da linha Intense da Boticário. Ficou um pouco claro por causa da luz. 


DICA: Se você não tem um batom vinho, só vermelho, a minha dica é: passe o batom e venha com um pouco de sombra marrom escura por cima usando um pincel de lábios. Misture até ficar bem uniforme e você obterá um tom de vinho lindo. 
Mas, se você prefere comprar, aqui vão algumas sugestões:



  1. NYX (Cor: China Love) – Em torno de R$40 
  2. Yes! Cosmetics, Batom Make Up (Cor: Amora) – R$19,90 
  3. Vult (Cor: 55) – Em torno de R$10
  4. Duda Molinos (Cor: Cuba) – R$30,00 
  5. MAC (Cor: Diva) – R$66,00
  6. NARS, Lipstick (Cor: Scarlet Empress) – R$100,00 
  7. Avon, Batom Ultra Color Rich Matte (Cor: Vinho Matte) – R$16,99
  8. Contém 1g, Batom Color Effect (Cor: Moscou Intenso Cremoso) – R$43,00
  9. Eudora, Batom Hidratante Lip Deluxe (Cor: Classic Rouge) – R$25,00 
  10. NARS, Batom Pure Matte Lipstick (Cor: Valparaiso) – R$100,00 
  11. Dior, Batom Rouge Dior Haute Couleur (Cor: Prune Fantastique) - R$119,00
  12. YSL, Batom Rouge Volupté Perle (Cor: Irridescent Burgandy) – R$169,00

E aí, o que acharam? Quem aí já usava? Quem vai começar a usar? Espero que tenham gostado das inspirações e sugestões. Beijos!

Tatuagens de mandala


Uma das muitas tatuagens que eu faria é uma mandala. As mandalas são representações simbólicas originadas na Índia. As mesmas simbolizam uma viagem ao nosso “ser interior”, em busca da harmonia, da paz e da expansão da consciência. A palavra “mandala” significa, em sânscrito, “círculo”.
Esses círculos sagrados têm sido utilizados, ao longo do tempo, como ajuda para a meditação nas seguintes religiões: budista, tibetana e hindu. De fato, a confecção de mandalas é usada como uma espécie de terapia, cujos principais benefícios são o aumento da concentração e o relaxamento do corpo e da mente.
As mandalas podem ser tatuadas em diversas cores e formatos e – o que é melhor – você mesmo pode desenhar a sua. Ao mesmo tempo que inventa a sua tatuagem, faz uma espécie de terapia para a alma!
Hoje trouxe algumas inspirações lindas. Vejam só:


E aí, o que acharam das tatuagens com esse símbolo? Espero que tenham gostado.

Pássaro acrobata


Teria eu algum defeito ou distúrbio por não idolatrar nada nem ninguém? Não me prender a nada? Hoje quase não sinto falta de alguém para seguir, para acompanhar, para me apegar. Uma pessoa ou coisa para amar incondicionalmente com aquela intensidade mortal. Quase não sinto falta de muita coisa. Virei um pássaro acrobata que corta o ar e não se apega a nenhuma árvore. Que só quer ir por aí, sem construir ninhos ou laços fortes com moradores e casas aconchegantes. Não quero uma gaiola, um sentimento intenso, forte e desesperador. Quero a leveza, quero as asas brancas como bruma, quero poucas opiniões formadas acerca do mundo e mais abertura para absorvê-lo em minha pele. Quero palavras destrajadas de máscaras, frutas sem cascas, feridas abertas.

Quero ser o pólen que vai com o vento, amadurecer nas tardes, a cada pôr-do-sol que me toma, a cada gota de orvalho da manhã que chega. Não quero ruído, estardalhaço, quero o silêncio da água brotando na nascente. Não quero guarda-chuva, não quero fugir. Quero sentir. Quero ser gato no telhado, olhando as estrelas, saindo e voltando na hora que meu íntimo me disser que é melhor. Não quero linhas, traços retos, fixidez. Quero as curvas da estrada, aquelas mais perigosas. Quero envergar como uma bailarina, me proponho até mesmo a quebrar. Quebrar e me consertar, como a vida pede. Criaturas livres, sorrisos soltos, olhos abertos, o grito tão sufocado arrebentando a garganta. É assim que quero ser. É assim que devemos ser.